sábado, 18 de junho de 2011

Por que os nematoides são bons bioindicadores


Indicadores são atributos que medem ou refletem o status ambiental ou a condição de sustentabilidade de um ecossistema, podendo ser físicos, químicos e biológicos (bioindicadores). Portanto, a qualidade do solo pode ser mensurada através do uso de sua biota como bioindicadora, através da análise de um organismo, de um grupo de organismos ou de alterações em determinado processo fisiológico. 

Diversos organismos da biota edáfica têm sido utilizados para avaliar a qualidade do solo e a sustentabilidade de sistemas agrícolas, principalmente a microbiota, minhocas, colêmbolos e nematoides. A fauna do solo apresenta vantagens em sua utilização quando comparada à microbiota já que, mesmo sendo sensíveis a distúrbios, são mais estáveis no tempo, não sendo afetada por variações efêmeras no fluxo de nutrientes. Dentre estes três grupos de animais nos solos, os nematoides apresentam facilidades quanto à sua extração e identificação. Além disso, existem mais informações a respeito da taxonomia e dinâmicas alimentares.
 
Considerando que os nematoides devem ser capazes se mover livremente através da água para se alimentarem e concluírem os ciclos de vida, a textura e a umidade do solo, bem como a disponibilidade de alimentos convenientes são pontos críticos na determinação da diversidade das comunidades de nematoides. Assim, os nematoides do solo são organismos que respondem com rapidez a mudanças no ambiente, podendo ser utilizados como indicadores ecológicos de distúrbios ambientais. São considerados bons bioindicadores em estudos da qualidade dos solos, principalmente por que:

a) estão entre os metazoários mais simples, ocorrendo em qualquer ambiente que forneça uma fonte de carbono orgânico, em qualquer tipo de solo, sob diversas condições climáticas e em habitats que variam de equilibrado a extremo distúrbio;

b) no solo, vivem em fios de água e sua cutícula permeável dirige o contato com o seu microambiente;

c) não migram rapidamente de condições estressantes e muitas espécies sobrevivem à desidratação, congelamento ou estresse de oxigênio;

d) ocupam posições-chave nas redes alimentares do solo;

e) suas características internas podem ser vistas sem dissecação, pois são transparentes;

f) o hábito alimentar é facilmente identificado de acordo com a estrutura da cavidade bucal e faringe;

g) respondem rapidamente a perturbação e enriquecimento. 

Em ecossistemas agrícolas essas comunidades compreendem espécies nativas que sobreviveram ao manejo agrícola, espécies que podem ter sido introduzidas pela atividade humana e espécies que chegaram através da dispersão natural.

Para maiores informações consulte:

Bongers, T. 1990. The maturity index: An ecological measure of environmental disturbance based on nematode species composition. Oecologia 83:14-19.

Bongers, T. 1999. The Maturity Index, the evolution of nematode life-history traits, adaptive radiation, and cp-scaling. Plant and Soil 212:13-22.

Goulart, A. M. C. 2007. Diversidade de nematoides em agroecossistemas e ecossistemas naturais. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados (Documentos 191). 68pp.

Neher, D. A. 2001. Role of nematodes in soil health and their use as indicators. Journal of Nematology. 33:161-168.
 
Yeates, G.W., Ferris, H., Moens, T., Van der Putten, W. H. 2009. The role of nematodes in ecosystems. In: Wilson, M. J.; Kakouli-Duarte, T. (Edts.) Nematodes as environmental indicators. 1-44.

2 comentários:

  1. Mt baaun mesmo, to fazendo um trabalho sobre o nematoides e estudando pra prova ú.ú

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que o blog tenha te auxiliado no trabalho!! Abraço

      Excluir